Fluxo Luminoso depende do tipo de tecnologia empregada no produto

Fluxo Luminoso depende do tipo de tecnologia empregada no produto

Na hora de optar por uma lâmpada ou luminária, o consumidor deve ficar atento à eficiência luminosa, calculada pela relação entre fluxo luminoso (lm) e potência (W)

Muitas vezes, na hora de comprar uma lâmpada ou luminária, alguns conceitos de iluminação podem gerar dúvidas na escolha do produto. Muitos consumidores consideram apenas o número de Watts (W), geralmente associando que, quanto mais alto for o seu valor, maior iluminação o produto proporcionará.

No entanto, isso nem sempre corresponde à realidade. A capacidade ou intensidade luminosa de um produto de iluminação depende da tecnologia e da quantidade de lumens que ele apresenta. Lumens representa a quantidade de luz que é emitida por uma lâmpada ou luminária. Ou seja, o quanto ela será capaz de iluminar um determinado espaço. Quanto mais lumens, mais intensa será a emissão de luz em todas as direções.

Como calcular a quantidade de lumens?

A eficiência luminosa de uma lâmpada ou luminária é o parâmetro que indica o quão eficiente uma fonte luminosa converte a energia que recebe. Este conceito é importante ao comprar um produto de iluminação para saber se ele será potente no ambiente a ser iluminado. Em outras palavras, é definida pela relação entre fluxo luminoso (lumens) e potência energética (Watts) – lm/W.

Para saber quantos lumens serão necessários para iluminar determinado ambiente pode ser feito um cálculo (estimado) simples. Por exemplo, um quarto com 12m2, para receber uma iluminação adequada, precisa de uma lâmpada de 1200 lumens ou duas de 600 lumens [12m2 x 100lm/m2 = 1200lm].

A tecnologia utilizada nos produtos também está diretamente ligada à eficiência luminosa. O plafon de LED, comercializado pela Tramontina, por exemplo, utiliza o conceito de iluminação direta, ou seja, o sistema matricial de LED (ao contrário dos sistemas que utilizam fitas de LED) incide diretamente na posição vertical, fazendo com que o fluxo luminoso da peça se torne mais intenso e impactando melhor na distribuição da luz do ambiente.

Leia também CPFL moderniza sistemas de iluminação de hospitais de Ribeirão Preto (SP)

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Últimas notícias