Equivalência entre lâmpadas influi na economia

Equivalência entre lâmpadas influi na economia

Há um mito de que a evolução no segmento de iluminação com o advento do LED complicou a tarefa de comprar uma lâmpada, já que o habitual era se utilizar os Watts (potência) como critério de escolha, quando o ideal é saber o quanto a lâmpada iluminará, gastando menos energia possível. Por isso, entender a equivalência entre lâmpadas ajuda a economizar na iluminação.

Para se ter ideia, uma lâmpada incandescente de 60W corresponde a uma fluorescente compacta de 15W, que por sua vez equivale a uma LED de 9W. No entanto, tudo isso fica mais simples quando se compara a quantidade de Lúmen (lm) de cada lâmpada, que é a unidade de medida do fluxo luminoso emitido.

Todos os modelos citados no exemplo proporcionam fluxo luminoso semelhante, mas é justamente a menor potência que faz com que as LED tenham a melhor eficiência luminosa.

Para estimular essa mudança cultural no consumidor, a Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação (ABilumi) lança uma campanha educativa sobre equivalência. O objetivo é informar o público para que adote o melhor critério na hora de adquirir um produto de iluminação.

Confira dicas relacionadas à equivalência entre lâmpadas:

– Watt (W) é a quantidade de energia que uma lâmpada consome, ou seja, não tem relação com a quantidade de luz que ela produzirá.

– Lúmen (lm) é a quantidade de luz que sua lâmpada produzirá. Este deve ser o critério mais importante ao adquirir o produto.

– Hoje, com as novas tecnologias, uma quantidade de luz maior nem sempre está associada a uma maior potência consumida por uma lâmpada.

– Ao comparar duas lâmpadas com a mesma potência, prefira a que oferecer mais lúmens. Você iluminará adequadamente seu ambiente, gastando menos.

– Algumas embalagens de LED trazem as equivalências com as fluorescentes e incandescentes, usando o dado do fluxo luminoso (lm) para orientar o consumidor nas substituições.

– Oriente sua escolha pelo fluxo luminoso adequado ao ambiente e não apenas pelo consumo, que no LED será sempre menor que o de outras tecnologias.

– A incandescente de 60W corresponde à fluorescente compacta de 15W e a uma LED de 9W. Todas têm fluxo luminoso semelhante. A menor potência do LED é que faz com que tenha a melhor eficiência luminosa e o melhor retorno financeiro.

– O rendimento luminoso indica quantos lúmens são produzidos a cada Watt de energia consumido. Quanto maior o valor, mais vantajosa é a lâmpada.

– Hoje, não faz mais sentido escolher a lâmpada pela potência (Watt), pois nem sempre uma lâmpada de maior potência ilumina mais que a de potência inferior.

– Quando se quer iluminar uma área, o que interessa é o fluxo luminoso, ou a quantidade de luz emitida pela lâmpada, ou seja, a quantidade de lúmens (lm).

Clique aqui e conheça a tabela de equivalência da ABilumi.

Leia também Osram lança lâmpadas germicidas que combatem vírus e bactérias

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Últimas notícias