Pilz lança mundialmente relé myPNOZ, considerado um marco da automação segura

Pilz lança mundialmente relé myPNOZ, considerado um marco da automação segura

O mais novo equipamento é um relé de segurança personalizado para atender às necessidades do cliente

Em fevereiro deste ano, simultaneamente com a matriz, na Alemanha, e demais companhias do grupo, a Pilz do Brasil, especializada em segurança de máquinas e automação industrial, faz o lançamento do relé myPNOZ, considerado um marco da automação de segurança.

Especialmente desenvolvido para era da digitalização, o mais novo produto da família de relés da Pilz é o primeiro a ser produzido para atender às necessidades do usuário de forma individual e personalizada, ou seja, trata-se de uma solução de segurança calculada, conforme a apreciação de risco e capaz de atender às necessidades específicas de cada cliente.

“A novidade é a individualização do produto, que inclui um processo de criação, simulação e encomenda até então inédito, além de facilitar o processo de comissionamento do cliente”, afirma Paulo Fernandes, diretor geral da Pilz do Brasil.

De modo geral, explica o executivo, o inovador relé myPNOZ de segurança é modular, flexível, personalizado e fácil de usar. E é dirigido a fabricantes de máquinas e integradores de automação de todos os setores, indicado para aplicações de segurança em áreas de complexidade simples a média, com duas a 16 funções seguras de entrada, sem a necessidade do uso de software de engenharia na aplicação.

A personalização do relé, segundo Fernandes, deve-se ao myPNOZ Creator, ferramenta on-line que integra a solução, disponibilizando ao cliente, a partir de uma variedade de possibilidades, uma solução completa e adequada às suas demandas. Para atingir a funcionalidade ideal, não são necessários conhecimentos sobre softwares (para a programação ou criação), pois a lógica da vinculação das funções de segurança já é definida pela sequência de inserção.

“Como resultado, é gerado um produto ‘virtual’ que será encomendado à Pilz. A Pilz irá montar, testar e enviar ao cliente a solução na forma de sistema pré-configurado, pronto para a instalação. Também para essa etapa, não são necessários conhecimentos sobre programação nem um software específico para a instalação. O usuário recebe a matriz de Causa e Efeito em termos práticos, a matriz técnica que auxilia no comissionamento. Recebe também um código de identificação do produto, de modo que o mesmo dispositivo possa ser comprado novamente”, destaca Fernandes.

A montagem lógica, acrescenta o diretor geral da Pilz, evita o desperdício de componentes não utilizados, além do enxuto processo de configuração e de envio do novo relé myPNOZ, se comparado aos relés de segurança convencionais. Tudo isso resulta em benefícios aos usuários, como ainda reduz os custos de cabeamento e da necessidade de espaço de armazenamento.

Em relação ao hardware, o novo relé é constituído de um módulo principal com módulos de expansão conectáveis. O módulo principal contém a alimentação de tensão, além de uma função de segurança organizada. Cada módulo de entrada pode monitorar até duas funções de segurança.

Com base na estrutura modular, com o novo relé myPNOZ é possível monitorar diversos sensores de segurança, sem precisar conectar vários relés, como acontecia anteriormente. Ele conecta botões de emergência, portas de segurança e cortinas de luz, entre outros.

Desta forma, o cliente pode inserir outras funções, conforme necessidade ou, ainda, demarcar áreas de segurança. Ao mesmo tempo, pode determinar as condições de funcionamento, após uma parada. Se desejar, por exemplo, pode testar pontualmente se um circuito está reagindo; para tanto, usa o myPNOZ Creator para acionar uma grade de luz pela simulação e testar a reação imediatamente.

“O novo relé myPNOZ reúne o conhecimento de décadas de êxito comprovado de todos os relés de segurança da Pilz, referência de confiabilidade, simplicidade na instalação e na manutenção, assim como nos diagnósticos rápidos, fáceis e precisos. Outro benefício é que se apenas um módulo apresentar defeito, basta apenas trocar esse módulo e a máquina funcionará novamente”, conclui Fernandes.

Leia na seção Vitrine mais notícias sobre produtos para o mercado de energia

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Últimas notícias