Elgin lança inversor com sistema de internet das coisas para projetos de energia solar no País

Elgin lança inversor com sistema de internet das coisas para projetos de energia solar no país

A Elgin, distribuidora de equipamentos fotovoltaicos e provedora de soluções nas áreas de climatização, refrigeração, iluminação, automação e costura, lançou recentemente no país um micro inversor de 2000 w com tecnologia de IoT (Internet das Coisas) para projetos de energia solar em telhados e pequenos terrenos de consumidores residenciais e empresariais.

A tecnologia do novo micro inversor, equipamento que converte a corrente elétrica dos painéis solares para uso doméstico e empresarial, consegue comunicar diretamente com a internet, redes IEEE 802.11 b/g/n. Por isso, não necessita de um comunicador intermediário no caso do sistema com a tecnologia WIFI (PLC ou DTU).

O micro inversor é um equipamento com a mesma funcionalidade que um inversor convencional. Ele também é conhecido como inversor string e possui um hardware bem compactado devido a sua forma de instalação. É capaz ainda de criar ramais e também diminuir o tamanho das potenciais fotovoltaicas (Fileiras). E são ideais para recortes de telhados que inversores tradicionais não atendem com uma eficiência razoável.

Com a aposta em novas tecnologias para o mercado fotovoltaico, a Elgin prevê que a área de energia solar se tornará certamente a divisão mais representativa da empresa em até cinco anos. O grupo anunciou recentemente investimentos da ordem de R$ 140 milhões na unidade fotovoltaica no país. O objetivo é reforçar assim a estrutura e ampliar o estoque para atender o crescimento esperado da demanda este ano.

Para 2021, a organização projeta um crescimento de 150% no volume de negócios na área solar. O principal mercado são os pedidos de empresas integradoras que atuam em projetos para residências, comércios, indústrias e propriedades rurais no país.

A perspectiva de crescimento para este ano segue portanto a mesma curva de resultado obtido pela empresa no ano passado. Um aumento de 140% nos negócios entre 2019 e 2020. No período, os geradores residenciais lideraram os pedidos na Elgin. Eles tiveram 85% de participação, seguidos pelos geradores comerciais (10%) e industriais (5%).

“A divisão de energia solar é um dos principais focos da Elgin atualmente”, declarou o diretor da Elgin, Glauco Santos. “Desde o ano passado, estamos ainda mais focados no setor, investindo em pessoas, em TI e logística, estreitando também o relacionamento com o mercado e melhorando ainda mais nosso atendimento aos parceiros integradores”, destacou o executivo.

O modelo de negócio consiste na distribuição de kits de energia solar fotovoltaica. Os produtos, que levam a marca Elgin, são como módulos solares fotovoltaicos, inversores de frequência e estruturas de fixação. “Temos também uma área de engenharia que apoia nossos parceiros integradores no desenvolvimento de soluções técnicas ainda mais elaboradas, com o uso de internet das coisas”, assinalou Santos.

Ele explica que, dentro do atual cenário de mercado aquecido, a empresa está preparada portanto para atender a demanda. “Planejamos de forma antecipada nossa atuação no mercado. E estamos mantendo estoque de produtos para garantir dessa forma o abastecimento de nossos parceiros.”

A Elgin atua no setor fotovoltaico desde 2017. No ano passado, criou uma divisão especifica para dessa forma ampliar o desenvolvimento dos negócios da companhia no segmento.

Leia também Cinco soluções da indústria 4.0 transformadoras para empresas

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Últimas notícias