BYD Energy do Brasil lança módulo fotovoltaico monocristalino de 400Wp com produção nacional

BYD Energy do Brasil lança módulo fotovoltaico monocristalino de 400Wp com produção nacional

A BYD Energy, fabricante de baterias de fosfato de ferro-lítio e de veículos 100% elétricos e atuante no mercado fotovoltaico, está investindo significativamente em P&D e na produção de módulos fotovoltaicos no Brasil. A empresa, com sede em Campinas (SP), começou a produzir módulos monocristalinos 400Wp em sua fábrica, desenvolvendo e produzindo módulos nessa potência.

Fábrica da BYD em Campinas (SP)

As novas células fotovoltaicas possuem 22,6% de eficiência, sendo possível produzir os módulos de 400Wp sem alteração de tamanho do módulo ou realizar qualquer tipo de adaptação na linha de produção. Segundo a empresa, o benefício para o cliente final, é um produto mais eficiente, que gera mais energia, contendo o mesmo tamanho e dimensões em comparação com similares importados vendidos no Brasil.

A produção em território nacional traz vantagens ao produto quando comparado ao módulo importado, no sentido de disponibilidade de estoque, segurança no controle da qualidade, melhor garantia, estrutura de atendimento local e suporte técnico especializado.

“É uma conquista inédita para BYD a produção de módulos monocristalinos 400Wp em território nacional. O Brasil precisa adensar cada vez mais a cadeia produtiva do silício no país para gerar empregos locais e desenvolver novas tecnologias no País”, afirma Adalberto Maluf, diretor de Marketing e Sustentabilidade da BYD Brasil.

“A fabricação deste módulo no Brasil é um progresso não apenas para a BYD Energy, mas para todos os nossos clientes, que serão atendidos com uma excelente performance e um produto mais adaptado ao clima brasileiro e às necessidades do mercado nacional”, considera o executivo da empresa.

Com demanda aquecida, a BYD registrou um crescimento de mais de 40% na comercialização dos módulos no segundo semestre de 2020. Como consequência, recentemente, a empresa abriu um segundo turno em sua fábrica, contratando cerca de 60 novos colaboradores, que se uniram aos 350 colaboradores atuais.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o segmento de geração distribuída deve crescer 90% este ano frente ao total instalado até 2020. O cenário de crescimento seguirá em ritmo acelerado, com predisposição positiva, assim como foi no segundo semestre de 2020.

O Brasil está despontando como uma liderança no setor e, brevemente, pode se tornar um dos três maiores mercados de geração distribuída com energia solar do mundo. Dados da Absolar preveem que, ao longo de 2021, serão adicionados mais de 4,9GW de potência instalada, somando as usinas de grande porte e os sistemas distribuídos.

O mercado no Brasil

A comercialização dos novos módulos no Brasil vai ao encontro de uma necessidade real da humanidade: mudar a dependência humana de energias não renováveis para energia limpa. De acordo com a BYD, sua missão é ajudar países e pessoas a superarem a crise energética e a reduzirem a poluição ambiental por meio da utilização de fontes renováveis de energia. “A energia solar fotovoltaica é a fonte que mais cresce no mundo e que mais gera desenvolvimento econômico social integrado. A fonte solar é um dos setores que mais geram emprego no País e traz um dos maiores potenciais para o futuro do Brasil. Apenas em 2021, serão 147 mil novos empregos em todo o território nacional”, explica Maluf.

A BYD prevê crescimento para os próximos meses e não descarta ainda a possibilidade de novas contratações, seja para sua unidade fabril ou para outros setores da sua sede no interior paulista.

Leia também BYD Energy eleva sua capacidade produtiva em 100% para atender mercado nacional

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Últimas notícias