ANEEL aprova reajuste nas tarifas da Enel Distribuição São Paulo

Aneel aprova reajuste nas tarifas da Enel Distribuição São Paulo

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou no dia 29 de junho, o reajuste tarifário da Enel Distribuição São Paulo. Diante da situação crítica da pandemia e dos seus impactos na vida das famílias (desemprego e perda de renda) e nas atividades do comércio e da indústria, a Companhia solicitou ao órgão regulador a aplicação de uma série de medidas regulatórias para a redução do percentual de reajuste deste ano, que ficou em torno de 61% menor do que estava previsto.

O reajuste médio anunciado foi de 9,44%, e passa a vigorar a partir do dia 4 de julho para os 24 municípios de sua área de concessão. Se não fosse o esforço da companhia, o porcentual de reajuste teria sido de 24,1%. O reajuste para consumidores de baixa tensão, em sua maioria clientes residenciais, foi de 11,38%, e para os clientes de média e alta tensão, em geral indústrias e grandes comércios, o índice aprovado foi de 3,67%.

Os principais fatores que influenciaram este aumento foram a alta da inflação (IGP-M) e o aumento dos custos com aquisição de energia (produzida pelos geradores, incluindo aí Itaipu) e com o transporte dessa energia até a distribuidora (valor pago às empresas transmissoras). Essas despesas, que são definidas por lei e pela regulação vigente, não são gerenciadas pela Companhia.

Destaca-se que, em uma conta de R$100, apenas R$22,7 ficam com a Enel Distribuição São Paulo. Com essa parcela, a Concessionária realiza toda a operação e a manutenção da rede elétrica e investe na expansão e na qualidade do seu sistema de distribuição. Desde a aquisição da antiga Eletropaulo, em junho de 2018, a Enel Distribuição São Paulo já investiu mais de R$2,6 bilhões. Esse investimento contribuiu para que a duração das interrupções de energia recuasse 35,8% entre dezembro de 2017 e dezembro de 2020, passando de 11,72 horas para 7,52 horas. A frequência das interrupções também melhorou 38,4% no mesmo período, de 6,22 vezes para 3,83 vezes.

Composição da tarifa de energia

As tarifas de energia são definidas pela Aneel com base em leis e regulamentos federais e contêm custos que não são de responsabilidade da Enel como: impostos, encargos setoriais, custos de geração e transmissão de energia. Esses valores são arrecadados pela distribuidora, por meio da tarifa de energia, e repassados às empresas de geração, transmissão e aos Governos Federal e Estadual (ICMS).

Veja abaixo como fica a composição da conta de energia da Enel Distribuição São Paulo após a aprovação do reajuste tarifário divulgado:

Leia também Enel Distribuição São Paulo dá 25 dicas de economia de energia no começo do inverno

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Notícias Relacionadas

Faça uma pesquisa​​

Últimas notícias